• Herpes simples também pode afetar os olhos e pálpebras

    Herpes simples também pode afetar os olhos e pálpebras

    Certamente você, ou alguém que
    você conhece, já desenvolveu as lesões do vírus herpes simples
    tipo 1 (HSV-1), já que o micro-organismo infecta cerca de 80% da
    população em geral. É este vírus que causa aquelas bolhas
    doloridas, que costumam aparecer nos lábios, cavidade oral ou
    próximas da boca. De acordo com a Academia Americana de Oftalmologia,
    o HSV-1 é a principal causa de infecções nos olhos.

     Mas, o que poucas pessoas sabem é que este mesmo vírus também pode
    causar lesões nas pálpebras e nos olhos, mais especificamente na
    conjuntiva e na córnea, levando a quadros de conjuntivite e de
    ceratite herpética, esta última quando atinge a córnea.

     Segundo a OFTALMOLOGISTA DRA. TATIANA NAHAS, CHEFE DO SERVIÇO DE
    PLÁSTICA OCULAR DA SANTA CASA DE SÃO PAULO, normalmente a infecção
    pelo herpes simples ocorre na infância. "Nem todas as crianças irão
    desenvolver as lesões. Na verdade, na maioria dos casos será uma
    infecção assintomática e autolimitada. O problema é que o vírus
    se aloja nos gânglios sensoriais do nervo trigêmeo e fica latente".

     Isso quer dizer que uma vez que a pessoa foi infectada, terá o
    vírus instalado no organismo para o resto da vida. Embora as lesões
    mais comuns sejam aquelas que afetam a região da boca, o vírus
    também pode se manifestar nos olhos, levando a quadros que podem ser
    graves quando não tratados.

    GATILHOS
     Algumas situações podem desencadear uma crise de herpes. "Quando
    reativado, o vírus irá migrar por meio dos nervos até chegar nos
    tecidos periféricos, ou seja, na pele das pálpebras, conjuntiva e
    córnea. Os principais fatores que podem desencadear essa reativação
    são o sol, quadros febris, baixa imunidade, traumas no local (como
    cirurgias) ou ainda o estresse", comenta Dra. Tatiana.

    SINTOMAS
     Quando o herpes simples afeta os olhos, pode causar uma série de
    sintomas. No geral, apenas um olho é afetado. Além disso, os
    sintomas irão variar de acordo a área atingida. Entre os principais
    sinais de herpes simples nos olhos estão:

            * Sensação de corpo estranho, areia nos olhos
             * Dor de cabeça
             * Sensibilidade à luz
             * Vermelhidão
             * Lacrimejamento
             * Coceira
             * Irritação

    "Se o herpes afetar somente as pálpebras, as manifestações são
    semelhantes às que atingem a cavidade oral e os lábios, ou seja,
    inicia-se com uma coceira, surgem bolhas que evoluem para
    feridas/crostas, que cicatrizam e caem. Porém, a maior preocupação
    é quando o vírus afeta a conjuntiva, a córnea ou a retina", conta
    Dra. Tatiana.

    DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
     Os sintomas do herpes ocular podem lembrar muito a conjuntivite. Mas,
    a principal diferença é que a conjuntivite afeta os dois olhos, na
    maioria dos casos. Já o herpes costuma atingir apenas um olho. Essa
    diferenciação é fundamental para evitar que a doença evolua e
    atinja a córnea, levando a um quadro de ceratite herpética", comenta
    Dra. Tatiana.

     A ceratite herpética é principal causa de cegueira em países
    desenvolvidos, graças a recorrência da doença. A taxa de
    recorrência do herpes ocular, depois do primeiro episódio, é de 27%
    no primeiro ano, de 50% em cinco anos e de 63% em 20 anos. O risco
    aumenta de acordo com o número de episódios, ou seja, quanto mais
    crises a pessoa tiver, mais elevada é a probabilidade de ter
    novamente.

    TRATAMENTO
     Como vimos, o pronto reconhecimento clínico do herpes ocular é
    fundamental para evitar danos à visão. "A ceratite herpética,
    quando não tratada, pode levar à perda da visão, opacidade da
    córnea ou até mesmo à perfuração da córnea. Portanto, mesmo que
    a lesão esteja apenas nas pálpebras, ela pode infectar outras
    estruturas do olho e precisa ser tratada. O ideal é procurar um
    oftalmologista o quanto antes, ao apresentar os sinais e sintomas do
    herpes", ressalta Dra. Tatiana.

     Em geral, o tratamento pode ser feito com antivirais tópicos ou
    orais. Alguns pacientes, principalmente os que apresentam recorrência
    do herpes ocular, podem precisar de uma terapia profilática, ou seja,
    podem precisar usar os antivirais para evitar novas crises.

     A prevenção passa pela higiene das mãos, evitar contato com
    pessoas infectadas, jamais compartilhar objetos de uso pessoal, como
    itens de maquiagem, por exemplo, gerenciar o estresse, evitar banhos
    de sol e cuidar para manter uma boa imunidade, por meio de um estilo
    de vida saudável.